A importância de saber quem é Jesus

Um dia, quando Jesus estava reunido com seus discípulos, perguntou-lhes: Quem diz o povo ser o Filho do Homem? (Mt 16:13). Esse assunto é tão importante que Jesus pergunta aos próprios discípulos o que o povo tem a dizer a respeito da sua pessoa (Mt 16:13). Tenha por certo que também é para nós.

Judeus, mulçumanos, espíritas, budistas e até mesmo ateus, afirmam algo sobre Jesus. Mas, a importância de saber quem ele é de fato, está ligado àquilo que a Escritura chama de revelação (Mt 16:17). Sabemos o motivo pelo qual as afirmações sobre a identidade de Jesus nunca são completas fora do Cristianismo. Nenhuma outra religião afirmará essa verdade conforme Pedro o fez, dizendo: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo (Mt 16:16).

Jesus possuía uma genealogia entre os homens, pois era da linhagem de Davi (Mt 1:1). Por isso, as pessoas olham para ele e não duvidam da sua humanidade. Sabem do seu nascimento, quem foi a sua mãe, qual a sua profissão e conhecem os seus irmãos. A sua natureza humana está expressa no fato dele descender dos judeus. O problema está na afirmação da sua divindade.

O fato de Jesus afirmar ser o Filho do homem significa que ele é verdadeira e plenamente homem. Se não fosse um homem, como nós em todas as coisas, ele não poderia ser nosso Salvador. Como um homem ele tomou o lugar de Adão (1Co 15:45-47) e nos representa diante de Deus. De igual forma, cremos que Jesus é verdadeira e plenamente Deus, pois, possui uma natureza divina, que é a base da personalidade total do Redentor.

A questão é que essa mesma pergunta é dirigida para nós hoje: Quem diz o povo ser o Filho do Homem? Assim, devemos ser capazes de fornecer uma resposta adequada. Isto, porque, todo o peso e valor do evangelho está sobre Jesus. O caráter especial do evangelho é que ele está imediatamente preocupado com seu Fundador. Conhecer Jesus é o mesmo que conhecer o evangelho. Então, se ele não é o que afirma ser, toda a nossa fé repousa sobre uma ilusão. Mas se suas afirmações são verdadeiras, todo o resto é de importância secundária.

Este que nasceu de Maria tem procedência divina, com todas as propriedades da natureza divina, assim como foi um homem completo com todas as propriedades essenciais que todo ser humano possui. A realeza de Jesus Cristo, segundo a carne, procede de Davi; mas, diferentemente de Davi, que morreu, Jesus Cristo será rei eterno, com um governo infindável sobre o povo de Deus, ou seja, a casa de Israel.

Portanto, confessar a humanidade e a divindade de Jesus Cristo é de fundamental importância para a nossa salvação.

Bruno Souza