Bem-aventurados os que choram (Mt 5.4)

Nossa geração é marcada pelo riso fácil, memes engraçados, stand up comedy e entretenimento barato. Não há espaço para o lamento legítimo diante do que deveria despertar a nossa comoção. Aliás, há uma insensibilidade em nossa época diante do hediondo. Essa realidade é percebida na igreja, na forma como muitos membros lidam com seus pecados, ao ponto de conviverem tranquilamente com eles, sem o mínimo pesar ou descontentamento. Não apenas isso, mas até mesmo se divertem com determinados comportamentos pecaminosos, gastando tempo entretendo-se com o que é imoral e ofensivo a Deus. Não há problemas em sorrir, mas é muito ruim sorrir do pecado.

O Senhor Jesus Cristo ensinou que “bem-aventurados são os que choram, porque serão consolados” (Mt 5.4). O homem verdadeiramente feliz é o que foi perdoado e justificado em Cristo Jesus (Rm4:7; Ap.19:9; 22:14) habitado pelo seu Espírito (1 Pe 4.14), e que anda no caminho da obediência (Sl 1). Um de seus distintivos é o choro diante do pecado, pois Deus sente prazer naquele que tem o coração quebrantado (Sl 51.17; Is 66.1-2), e Ele ordena chorar pelo pecado (Tg 4.8-10). A importância do choro é constatada pelo fato de haver um livro na Bíblia chamado Lamentações, também, por uma boa parte dos Salmos constituir de lamentos, e pelos diversos exemplos de homens de Deus lamentando por seus pecados e do povo (Is 6.5; Sl 32.3-4; Sl 119.136; Rm 7.24.). Sobretudo, destaca-se o exemplo de Jesus Cristo, que mesmo sem ter pecado chorou (Jo 11.35; Lc 19.41-42). É dito que nos dias da sua carne, Jesus se ofereceu “com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte e tendo sido ouvido por causa da sua piedade” (Hb 5.7).

Ademais, podem ser destacadas mais algumas razões para chorar em face do pecado: 1. O pecado é uma ofensa contra Deus, é esperado que os filhos de Deus se entristeçam quando Deus é ofendido. 2. O pecado trouxe separação e miséria ao homem. 3. O choro é uma expressão do anseio da alma pelo seu Senhor e pelo livramento final. 4. O choro é uma expressão de angústia da alma por pecar contra um salvador tão bondoso.

Enfim, os que choram são felizes, porque em grande medida usufruem o consolo dado por Cristo, que os libertou do julgo e da condenação do pecado, e por possuírem o Espírito Consolador habitando neles. Entretanto, esse consolo será pleno quando cumprida a promessa de que não haverá mais choro, morte ou dor (Ap 7.17; 21.4). Contudo, é mister lembrar que só serão consolados os que choram. Que nossa vida seja marcada pela verdadeira alegria do choro que anseia viver completamente livre desse mundo caído, ao mesmo tempo que usufrui o contentamento que flui do Consolador presente em nossa habitação.

Sola Gratia

Lic. Paulo Ricardo

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *