Jesus, o Bom Pastor

Quero empolgar você, leitor, acerca do cuidado, condução e da competência do nosso Senhor Jesus Cristo reproduzidos através da metáfora do bom pastor. As metáforas transportam com eficiência o significado quando a linguagem literal nos falha. Falando sobre isso C. S. Lewis afirma: “a verdade é que, se vamos falar de coisas que não são percebidas pelos sentidos, somos forçados a usar a linguagem metaforicamente”. Assim, atento às nossas próprias debilidades, o nosso Senhor generosamente nos povoou a imaginação para que pudéssemos conhecer suas grandezas através de comparações.

De fato, há abundância de textos bíblicos onde Deus é descrito com esta linguagem. Isaías, por exemplo, compara Deus ao pastor que amorosamente conduz Israel “entre os seus braços” como um cordeirinho (Is 40:11). Jeremias também compara-o como alguém semelhante a um pastor disposto que reúne seu rebanho espalhado e o traz de volta à sua companhia (Jr 31:10). Ezequiel, por sua vez, completa esta percepção. Em seu livro, a imagem empregada para simbolizar a proteção e cuidado divino é a de um pastor vigilante. Disse Deus: “Eis que eu mesmo procurarei as minhas ovelhas e as buscarei. Como o pastor busca o seu rebanho”(Ez 34:11-12). Assim, através de uma imagem próxima e familiar, os nossos irmãos hebreus são encorajados a descansar sob os cuidados do Pastor de Israel (Sl 80:1).

Davi entendeu muito bem o cuidado competente do seu Pastor. Seu testemunho é de uma ovelha que vivencia diariamente a provisão, a condução e a consolação sempre presentes na relação entre ele e Deus. Tamanha é esta segurança que Davi corajosamente diz: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo” (Sl 23:4). Assim, as mais significantes promessas que Deus faz através dos seus profetas nos permitem concluir que ninguém é digno ou capaz de assumir tal responsabilidade. Por isso, o próprio Deus-homem viria para pastorear seu povo. E porque ele é competente para fazê-lo, somos conduzidos em segurança.

Com isto em mente, encare a reivindicação de Jesus Cristo: EU SOU O BOM PASTOR (Jo 10:11). Como essa afirmação te afeta? Você se impressiona e se sente cuidado, ou é um assunto irrelevante, pois você cuida de si mesmo? Não há meio termo. Ser o Bom Pastor é o cumprimento das antigas esperanças do povo: ser conduzido pelo Senhor como ovelhas do seu pastoreio (Sl 100:3). Seu pastoreio é perfeito, amável, seguro, frutífero e confiável. Ele é “bom”, porque estava preparado para morrer para que as suas ovelhas fossem salvas. Ele “dá a sua vida pelas ovelhas”. O pastor Jesus venceu a morte e assim cuida de você na vida e na morte. Enfim, nenhum de nós é bom o suficiente para merecer o favor de Deus; somente Jesus Cristo o é. Portanto, ouça e reconheça a voz do Bom Pastor, aquele que nos “faz repousar em pastos verdejantes” guiando-nos “pelas veredas da justiça por amor do seu nome”.

Bruno Souza

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *