Unidade e diversidade

As artes captam e apresentam verdades belíssimas, numa conexão fiel entre aspectos analíticos (lógicos) e afetivos. Vimos como a experiência de comunhão era vivenciada na igreja do período apostólico. Guilherme Kerr usa o texto de Atos 4.32-37 para registrar a idéia em som.

Tomamos a liberdade de nos apropriarmos do ponto para aplicarmos ao nosso contexto. O resultado é percebermos a beleza do que já temos vivido. O evangelho e a comunidade são mesmos demais!

Barnabé e a prática do amor

Na série Atos temos visto como Deus convida e conduz a Igreja a acompanhá-Lo em Sua missão. Uma das bençãos concedidas para que isto se torne real, é a prática do amor. Vimos, em Atos 4.32-37, como homens normais, a exemplo de Barnabé, encarnavam esta realidade.

A música condensa essa mensagem de forma artística e bela. É um clássico da música cristã brasileira. Desfrute, e seja como Barnabé.

Letra:

Barnabé (Guilherme Kerr)

Não fica bem a gente passar bem e outro carestia
Ainda mais quando se sabe o que fazer e não se faz
Como fruto do amor de Cristo, fruto do seu compromisso
Vendeu o homem o que tinha e repartiu

Era o seu nome: Barnabé, natural de Chipre
Também chamado de José das Consolações
Homem bom e piedoso, cheio de fervor e fé
Homem de Deus

E quando Saulo converteu-se a Cristo lhe faltou amigos
Alguém que fosse companheiro, fonte de consolo e abrigo
Como fruto do amor de Cristo, fruto do seu compromisso
Foi um homem procurá-lo, dando-lhe a mão

E quando a igreja se espalhou pra todo canto que havia
Providência, sim, por mão de Deus, chegou à Antioquia
Precisando de um pastor de almas, mesmo de um pastor de homens
Foram procurar àquele que qualificou