Você é aquilo que come

Reunir-se ao redor da mesa fala muito sobre uma pessoa! Não apenas expõe seus gostos alimentícios, suas preferências de amizade, ou mesmo o modo como gosta de gastar seu tempo. Mais que isso, nos fala sobre o que essa pessoa, de fato, ama. “Diga-me com quem andas e te direi quem és” pode ser facilmente substituído por “diga-me com quem (e o quê) comes, e te direi quem és”. Comer é um ato religioso – vemos isso no dia-a-dia, nas menores coisas.

Você conhece pessoas para quem o churrasco na casa do amigo é o Éden? E a feijoada ou o mocotó de domingo? “Sagrado”! Por qual motivo nos é estranho ver alguém comendo sozinho? “Ah, mas eu não acho isso estranho!”, alguns dizem, como se fosse sem motivos que nos acostumamos com as refeições rápidas e solitárias como parte da rotina. E o que dizer dos diversos movimentos fitness, com sua divisão dos alimentos puros e impuros? Enquanto em algumas religiões é proibido comer carne de vaca, a turma do lowcarb foge dos carboidratos como os vampiros fogem da cruz.

Nada disso é sem motivo. Não existe um terreno da vida que seja imune à realidade de que nós somos seres fundamentalmente religiosos. Comer é um ato religioso. Alguém já disse: “quer comais, quer bebais, façais tudo para a glória de Deus” (1Co 10.31). Podemos comer certo ou comer errado – e não, isso não tem nada a ver com o que ingerimos. O povo cristão, afinal, sabe que o problema não é o que entra pela boca, mas o que sai do coração – li por aí, inclusive, que fazemos parte da única religião sem restrições alimentares! Glória a Deus!

Falando em comida, você já reparou que os cristãos são um povo que se reúne ao redor da mesa e da Palavra? As Escrituras Sagradas nos ensinam que a história do fracasso humano começou com uma refeição proibida. A grande narrativa do povo de Israel envolveu ouvir, obedecer e sentar para comer. O que Jesus fez com seus discípulos pouco antes de ser crucificado? Comeu, bebeu e nos deixou uma instrução sobre o que fazermos até que ele venha (tudo isso ao redor de uma mesa!). E o que é que aguardamos ansiosamente? Tomar um vinho novo nas bodas do Cordeiro, na grande festa que será preparada para nós que estamos em Cristo.

Afinal, ao redor de que mesa você tem se assentado?

Cauê Oliveira

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *